Reversa Magazine: Revista Eletrônica de Cultura e Turismo para LGBT

 

Oi, como vai?

Meu nome é Maira, fundadora, ao lado da escritora Cristina Judar, do Reversa Magazine, uma revista eletrônica de cultura e turismo para LGBTs.

Antes de tudo, gostaria de saber. Você já se perguntou:

    • Por que todos os veículos online LGBT produzem textos sobre os mesmos temas?
    • Por que muita informação que é publicada sobre o universo LGBT se volta para casos de homofobia & agressões, sexo e política?
    • Onde é possível encontrar as últimas novidades culturais voltadas para o universo LGBT?

Se você já fez alguma dessas perguntas, então está no lugar certo!

Leia como o Reversa Magazine Veio para Fazer a Diferença na sua Vida

Refe_55106dba97e59_55A6840521

Há muitos sites e/ou blogs LGBTs na Internet – alguns, inclusive, foram criados por amigos nossos e pelos quais temos o maior respeito. Um exemplo é o Lado Bi, do qual já participamos como fonte para suas pautas (ouça o podcast do Lado Bi sobre Literatura LGBT, com a Cristina Judar, e outro sobre Empreendedorismo LGBT, do qual participei).

No entanto, após um período de análise e de atuação no meio notamos que a maioria dos veículos possui uma característica em comum: ao longo do tempo, começam a republicar notícias que são veiculadas, principalmente, nos Estados Unidos, e isso faz com que você, ao acessar diversos blogs LGBTs brasileiros, tenha acesso ao mesmo conteúdo.

Refe_565acff6db74d_UQ873FVZ5S

Ou seja, não há um investimento na apuração de novas notícias e entrevistas com frequência, dia após dia. Ocasionalmente um ou outro faz algo inovador, mas, geralmente, fica tudo quase que centrado sobre as mesmas coisas.

Isso pode acontecer por:

– Falta de estrutura e organização de um projeto;

– Pensar a curto prazo e na métrica de acessos diários, ao invés de pensar no longo prazo e na construção de uma marca;

– Desinteresse do dono do blog pelo projeto, pelos mais diversos motivos;

– O site não tem capacidade de gerar receita ($$) para se manter nos próximos meses e anos.

Nós, do Reversa Magazine, começamos esse projeto, de 2013 a 2015, com a publicação de um texto diário, fizesse sol ou chuva, fosse feriado ou não, com informações republicadas de veículos internacionais mescladas às nossas apurações, pesquisas e entrevistas.

Refe_53b3a63d0de8d_IMG_3834

E, para a nossa felicidade, o Reversa Magazine está sendo lucrativo – conseguindo se pagar sozinho em 2015.

Até que… Bateu um luz!

Por que estamos fazendo isso? O que essa forma de produção de conteúdo está agregando para @s [email protected] [email protected]?Por que mexer em time que está ganhando?

A resposta é simples:

Por que VOCÊ merece mais!

VOCÊ merece melhores conteúdos e informações exclusivas.

E assim, em 2016, começamos com o velho ditado: Menos é Mais.

– Menos volume de conteúdo para focar em mais qualidade dos textos;

– Menos republicação para focar em mais fontes para nossas reportagens;

– Menos textos diários para poder publicar “o texto” do mês inovador.

Não há segredo para um projeto se manter em pleno crescimento e/ou dar lucro, além de foco, do desenvolvimento de boas pautas e a reunião de informações para os leitores. Fazer uma pessoa pensar “uaauu, que texto incrível!”, é o que queremos.

Refe_54f4af907d0ad_Aleksi-Tappura

Queremos surpreender sempre e, para que isso aconteça, é necessário muito suor, correr atrás de dados únicos e muito mais. Todos os grandes veículos de comunicação que você conhece têm certa ‘autoridade’ justamente porque colocam seus repórteres para apurar as notícias.

E é justamente isso que pretendemos fazer agora com o Reversa Magazine. Para ser uma revista eletrônica é preciso se comportar como tal, e como isso acontece?

Com a exposição da nossa habilidade única, a habilidade de escrever, de conversar e extrair a melhor informação para VOCÊ!

E já tivemos até uma repercussão dessa mudança: saímos, em maio de 2016, em uma listinha especial do Buzzfeed Brasil sobre os 31 militantes dos direitos LGBT para você acompanhar de perto (estamos na décima segunda posição, dá só uma olhadinha).

Um Pouco Sobre a Nossa Jornada com o Reversa Magazine

Refe_55e49d2d264f5_unsplash_5239d6c04342c_1-1

Eu e a Cristina Judar somos jornalistas formadas. A Cris ainda tem uma carreira como escritora de ficção – o seu último livro, Roteiros para uma vida curta, foi Menção Honrosa no Prêmio Sesc de Literatura (uma das premiações mais importantes para escritores hoje no nosso país), além de ter finalizado o seu primeiro romance, Oito em Sete (em breve será publicado!), e já premiado pelo ProAC.

Quando nos conhecemos E demos início ao Reversa, nosso foco era desenvolver uma revista impressa para lésbicas. Mas… com a crise do jornalismo impresso, viemos para a Internet.

De novembro de 2013 a julho de 2014, o Reversa Magazine era um site de cultura para lésbicas, mas, aos poucos, vimos que não podíamos excluir as outras letrinhas do alfabeto colorido e remodelamos o nosso projeto como um todo.

Uma amiga, a Alexandra Marcely (organizadora da Festa Valentina), sempre divulgava o Reversa como uma revista eletrônica e gostamos tanto dessa titulação que passamos a usá-la. A partir daí, decidimos nos dedicar inteiramente para fazer o Reversa Magazine ser realmente uma revista eletrônica e esse é o nosso foco.

Nesse tempo todo, nós:

– Como já dito acima, em 2016, saíamos em uma matéria do Buzzfeed Brasil;

– Em 2016, mostrei o Reversa Magazine na Campus Party em uma palestra, no palco mídias sociais, sobre conteúdo online;

12647942_1240318875984828_94919227_n

– Eu, Maira, fui a Viena a convite do órgão de turismo da cidade para participar de uma semana cultural e turística lésbica e, no final, tive o prazer de cobrir a Parada Gay de 2015 (escrevi sobre isso aqui);

– Eu, Maira, fui convidada a integrar o júri do Prêmio Canal Brasil no Festival Mix Brasil 2015;

– E, como disse acima, participei do podcast Lado Bi sobre empreendedorismo LGBT e a Cris também teve a honra de participar do programa sobre Literatura LGBT.

– Em 2014, participamos de uma campanha com a Netflix para a divulgação do Orange Is The New Black – com direito a sorteio de brindes da série para [email protected] [email protected];

Com relação aos nossos dados estatísticos, eu recomendo que você solicite o nosso mídia kit aqui, mas posso dizer que o Reversa Magazine superou todas as minhas expectativas, principalmente por ser um veículo de cultura e LGBT que não se foca em sexo,em “ pegação”, notícias sobre homofobia e em discursos políticos.

Nós só temos que agradecer por tudo o que aconteceu e vem acontecendo conosco. Inclusive, a participação da Kelly Lima, do site Delírios Cinematográficos, que escreve sobre cinema LGBT na nossa revista eletrônica. Valeu demais, Kelly!

Manter um trabalho desses, depois de alguns anos, não é tarefa fácil. São muitas horas, finais de semana e feriados que estamos em frente ao computador discutindo matérias, pautas e buscando fontes para oferecer o melhor conteúdo que possamos produzir.

Além disso, nada é mais gratificante do que os comentários que recebemos nas redes sociais e em nossos textos sobre o nosso trabalho. Isso não tem preço!

Então Nós Demos Adeus ao Chefe? Não é Bem Assim…

Refe_54fc88a6b8a4e_Luke-Chesser-2

Quem lê esse texto pode imaginar que eu e a Cristina Judar estamos ganhando bem, afinal é viagem, é parceria com Netflix, entrevistas, palestras e estão na mídia. Bem, não é assim!

Ainda mantemos os nossos empregos formalmente, ou seja, trabalhamos das 9h às 18h (inclusive nos finais de semana e feriados) e, quando chegamos em casa, nos dedicamos integralmente ao Reversa Magazine.

Essa foi uma opção de trabalho após recusarmos possíveis patrocinadores que não se encaixavam em nosso padrão editorial. E vamos continuar assim até acharmos um parceiro que se adapte corretamente à nossa proposta e vice-versa.

Por isso, não temos pressa e queremos fazer tudo certinho, a começar por um conteúdo de qualidade. Acreditamos que dessa forma a recompensa será maior e a dor de cabeça com parceiros, se houver, será a mínima possível.

E o que Você tem a Ver com Tudo Isso?

Refe_56644c3d6fff8_0E0M5W9O3V

Nós, do Reversa Magazine, acreditamos que o nosso mundo LGBT é cultural, diferente e, claro, Reversa.

Estamos crescendo e agradecemos imensamente a você que faz parte de tudo isso!

Se você chegou até aqui e se perguntou se eu e a Cris somos um casal, a resposta é sim! Um casal que além de admirar uma à outra como pessoa, temos a honra de trabalharmos com o quem admiramos enquanto jornalistas – e, no meu caso, como uma escritora também.

mc

O Reversa Magazine é como se fosse o “nosso bebê”, que, com muito carinho e mimo, estamos vendo crescer.

Esperamos que você tenha acesso ao máximo de conteúdo original, interessante e que, de alguma forma, tenha impacto na sua vida. Nós também indicamos alguns produtos culturais que, se você quiser comprar, ajudam a manter esse projeto online. Mas que fique clara uma coisa: você não é [email protected] a adquirir nada para ter acesso ao Reversa e ao seu conteúdo.

TUDO É FREE! E vai continuar assim!

Nós só queremos fazer tudo diferente, oferecer coisas novas, com muita qualidade, amor e paixão por tudo isso.

E que você seja sempre [email protected]!

Até logo mais,

Maira & Cris. 

Imagens: Refe // Maira Reis // Cristina Judar. 

Entre para a nossa Área Vip Agora!

Receba GRATUITAMENTE mais conteúdos [email protected] no seu E-mail

Fique tranquilx, não fazemos SPAM. Somos contra essa prática. =)