Ritz Restaurante: Local que Toda Lésbica Deve Conhecer (e Comer) Algumas Vezes na Vida

54
views

Não deixe de ir ao Ritz – não só por uma vez, mas, se possível, várias, porque o local é um espaço para ser saboreado aos poucos

Um copinho com vela acesa. Atendentes gentis. Mesas pequenas, mas que cabem tudo o que precisamos. Ambiente hype e gente bonita.

É assim que podemos denominar, em poucas linhas, o Ritz Restaurante, na Alameda Franca, que existe desde 1981.

Se eu ocultar que o lugar é um dos meus points favoritos na capital paulistana, estarei mentindo. Gosto sim do espaço. Gosto de doer o coração.

Gosto de ir para outra cidade e/ou país e sentir saudades do ambiente, das pessoas e, claro, do tempero.

O Ritz é o irmão do Spot, outro restaurante, que se localiza no coração da Avenida Paulista.

A diferença entre os dois é que o primeiro é frequentado por um pessoal mais estiloso e LGBT. Já o segundo é dominado por “coxinhas”, empresários e advogados.

Outro fato que conta demais é que no Ritz o espaço é menor, o cardápio é mais barato e isso resulta em uma sensação de proximidade com as pessoas que dividem o espaço com você (em outras palavras, para as solteiras e os solteiros de plantão: lá é ótimo para paquera).

O Spot tem um cardápio mais requintado, com preços bem mais elevados e, claro, pratos diferentes.

Contudo, algumas opções estão no menu dos dois locais – com preços diferentes, claro – como, por exemplo, o petit gateau.

O interessante no Spot é que o cardápio ainda mantém algumas delícias antigas da casa, mesmo mudando as suas opções constantemente. Um exemplo é a truta com nozes e a incrível salada do chef (na qual, recentemente, incluíram ovo – mas que, mesmo assim, não perdeu a sua originalidade e sabor).

ritz-franca

Caso você vá ao restaurante pela primeira vez, recomendo o macarrão com alcachofras e tomate e o bife à parmegiana.

De sobremesa, é impossível resistir ao merengue da casa, que vem com chantilly e sorvete e calda de frutas vermelhas (gigante, dá para comer em duas – ou dois). E, claro, se ainda estiver com disposição, pode solicitar o café. Em resumo: não deixe de ir ao Ritz.

Não só por uma vez, mas, se possível, várias, porque o local é um espaço para ser saboreado aos poucos.

p.s.: o Ritz tem mais de uma unidade em São Paulo, porém a melhor, segundo as minhas experimentações, é a da Alameda Franca, a mais antiga.

p.s.1: O Restaurante também fazia (ou faz, não sei se isso ainda acontece) entrega a domicílio. Nunca pedi e não tenho a menor vontade de fazer uso desse serviço. Se eu fosse, você fugiria dessa opção porque ir ao local é o que torna a experiência especial.

Imagens: Website Ritz / Google Imagens. 


Quer receber gratuitamente dicas exclusivas de onde ir em São Paulo, sugestões de leituras (notícias, livros e novos posts)e lançamentos de filmes LGBT no seu e-mail toda semana?

Cadastre os seus dados nos campos já:

Entre para a nossa Área Vip Agora!

Receba GRATUITAMENTE mais conteúdos [email protected] no seu E-mail

Fique tranquilx, não fazemos SPAM. Somos contra essa prática. =)